domingo, 4 de maio de 2008

Procura


Procuro
pois vivo:
Deus ou a Verdade?
Uns procuram a verdade de Deus
eu quero a minha.
E procuro-a...
Deus não me seduz,
não me enriquece,
não me satisfaz...
Porque não encontrar os dois??
Serão estes valores
verdade
e fé
tão antitéticos
como a luz e a escuridão?
Sim
A verdade
que procuro
que acredito
que me dá rumo
e que me ilumina
na escuridão da dúvida,
tem lugar para teorias
caminho para o desconhecido
interpretações malditas
errantes
tolas
Bem intencionadas
Compreensão infinita...
Disseram uma vez os poetas Hetfield e Ulrich:
Segue o Deus que falhou!
Mas não...
Não quero falhar
As minhas acções importam
para alguém
Não posso falhar...
Quero viver
aceso
acossado pela vontade
ânsia
veneração pela verdade
procuro-a então incessantemente
pois enquanto houver respostas
há esperança.
Quando se dissiparem as dúvidas,
se desvanecerem as perguntas
desvaneça-me eu também
pois encontrei a verdade.
A derradeira verdade...

7 comentários:

V.Matias disse...

As coisas que mais gostei de encontrar foram as que menos procurei.

( Texto WOW :O )

Anabela Magalhães disse...

É, Vera... às vezes também acontece. O inesperado também pode ser muito saboroso!

Camões disse...

É impressão minha ou temos aqui um fã de Metallica...hum?
Por acaso é uma música muito boa a "God That Failed" tal como está o teu texto!
Bom trabalho

Diogo disse...

Ui, que emoção, quem será o maracujá -.-'

( esta ideia foi tirada dos Morangos com Açucar, só pode )

Camões disse...

Olha...falou o gajo que não perde um único episódio!
Que mongo pah!

V.Matias disse...

A cobiça envenenou a alma dos homens… Levantou no mundo as muralhas do ódio, e tem-nos feito marchar a passo de ganso para a miséria e os morticínios. Criamos a época da velocidade, mas sentimo-nos enclausurados dentro dela. A máquina, que produz abundância, tem-nos deixado em penúria. Os nossos conhecimentos fizeram-nos céticos; a nossa inteligência, empedernidos e cruéis. Pensamos em demasia e sentimos muito pouco. Mais do que de máquinas, precisamos de humanidade. Mais do que de inteligência, precisamos de afeição e doçura. Sem essas virtudes, a vida será de violência e tudo será perdido.
P.S. Passas grande parte da tua vida à procura de respostas, mas um dia quando se acabarem as tuas perguntas, vais perder também a esperaça e aí... Aí vais perceber tudo o que te queria dizer agora.

V.Matias disse...

( em cima leia-se Esperança )