quarta-feira, 30 de abril de 2008

Noite


Sentei-me debaixo das estrelas
Misteriosas
Luzes de marinheiros
Almas de poetas
Corações de caminhantes.
A calçada estava fria
O sol tinha partido já fazia muito tempo.
O luar resplandecia,
iluminava e encantava.
Olhei as folhas,
nas suas enrugadas faces
espelhava-se a lua,
o seu franzino caule dançava com a brisa,
os ramos abraçavam seus filhos
com ardor
calorosamente
pois só estavam prontos para voar com o vento
aquando do festival Outonal
Uma sinfonia de vida
uma homenagem à mãe.
Encostei-me então ao tronco
Forte
Majestoso
Pai e piedoso.
A sua volátil sombra
espectro cinzento
assustava os tolos
e encantava as palavras.
Levantei-me e caminhei pela relva
verde e fresca
molhada pela primeira gota de orvalho
brilhante
transparente
e a sua essência de sol
o primeiro raiar
um arco íris preso
conformado
belo
que me inspira.
Olhei então o horizonte
longínquo
esculpido nas montanhas
escavado em vidas
regado de chuva
sedento de lágrimas
e saudade,
percorrido pelas estradas
e pela Estrada.
Sobre ele
nascia o sol
esperado
venerado
omnisciente
Deus.
As cores estavam de volta
e a música
do chilrear dos pássaros,
do zumbir das abelhas
e do polinizar dos beija-flor
e com eles parto para me sentar noutra calçada fria
olhar outro luar
Escrever outro poema...

11 comentários:

Camões disse...

Gostei "bastante" deste "lindo" texto!
Continuai o bom trabalho!!!

pdeportugal disse...

Bonito. Muito Bonito.
Continua a sentar-te nas calçadas e a olhar o luar.
Cada dia vais sentir que alcançaste novos horizontes mas sobretudo que tens muitos mais à tua frente.
Segue a tua estrela!

MM disse...

O blog “Horários Escolares” seleccionou “A música do silêncio” para atribuir o prémio “É um blog muito bom sim senhora!”
Excelente trabalho de sentimentos e partilha. Vê a nomeação em http://horariosescolares.blogs.sapo.pt/

Tânia disse...

Gostei muito deste texto, como de todos os outros que leio várias vezes!
Para mim, penso que teria ainda mais valor, se quem o escrevesse (não sei quem, mas desconfio), o sentisse realmente.
Mas se sente, pelo menos não parece...
Boa continuação ... :D

Anabela Magalhães disse...

Parabéns, Maracujá... já dois prémios!!!

EMD disse...

Eu acho que o maracujá não é propriamente um fruto muito bom de se comer. E contrapartida o suco é excelente.
A tua escrita também não é para ser devorada. Antes sim beberricada, em suaves goles, para se apreciar o perfume, o paladar, a beleza do sentido e da construção.
Afinal o pseudónimo Maracujá faz todo o sentido.
Continua, delicioso Maracujá!

Adenda 1: Parabéns ao "DePrimeAbord" e parabéns pelas duas distinções.
Adenda 2: Até agora fiz os meus comentários aos teus poemas no “anabelapmatias.blogspot”.
Agora, que já sei o caminho, virei trazê-los cá a casa.

EMD disse...

Aqui acima, leia-se "em contrapartida".

Camões disse...

O blog “Ecstasy of Gold” seleccionou o seu blog para atribuir o prémio “É um blog muito bom sim senhora!”
Vê a nomeação em: http://ecstasyofcamoes.blogspot.com/

V.Matias disse...

O blog “VeraMatias” seleccionou “A Música Do Silêncio” para atribuir o prémio “É um blog muito bom sim senhora!”
Vê a nomeação em: http://veematias.blogspot.com

Raul Martins disse...

Tantos prémios e bem merecidos. Estive no Tempo de Teia e também tens lá uma nomeação. E vindo da Professora Teresa! Não é para qualquer um. Ela como adora a poesia escolheu-te e fez muito bem. Se quiseres lá ir entra no meu site - para não estar à procura do link e colocá-lo aqui - e procuras nos meus blogs amigos o "Tempo de Teia".

Sempre em frente Maracujá!

Raul Martins disse...

Afinal não precisas de lá ir... está mencionado num comentário mais acima pela professora Teresa no "Horários Escolares".