domingo, 6 de abril de 2008

A estrada

Nasci.
Olhei para a frente e pressenti o destino.
Não havia retorno e nada era certo.
Acossado pela sua força segui sempre em frente.
Caminhei pela vida, abri a mente e segui a estrada.
O sol punha-se mas eu não.
E de noite quando a esfera prata sorria para mim, eu percebia porque era um caminhante.
De manha, quando se via o primeiro raiar de luz ainda verde e fraco eu retomava a minha caminhada.
Falava comigo, via-me nos animais e sentia-me nas plantas.
Mas não parava...
Com a segurança da experiência via a estrada que serpenteava até aos recantos mais profundos.
E eu por ela deambulava...
Era acompanhado pela brisa, intempestiva companheira mas de coração brando e justo.
Os montes que via depressa eram ultrapassados e as imponentes montanhas geladas, oásis de desafio, eram minhas velhas e sempre presentes conhecidas.
A natureza era a minha casa, amiga e confidente.
O tempo caminhava comigo e os meus cabelos com ele.
O sapientíssimo branco foi dele uma dádiva.
Mas a minha capa continuava inquieta e o meu coração decidido.
Um dia parei e caí.
Deixei de sentir, de olhar e de caminhar.
Ela deu-me a mão e levou-me para cima.
Confortou-me e devolveu-me a mim...
E fiz o que melhor sei fazer:
Caminhar...

5 comentários:

Raul Martins disse...

Já conhecia alguns textos teus pela mão da professora Anabela. Pressentia que irias encontrar o teu espaço para os teus textos. Primeiro foi a provação e agora sentes que estás preparado.
Força!
Sempre em frente... pela "estrada"... caminharemos... sempre...

Anabela Magalhães disse...

Parabéns pelo teu blogue, Maracujá.
Não te esqueças que o caminho faz-se caminhando... não há outra hipótese. Desejo-te bom trabalho.
Eu continuo por aqui para o que precisares.
Beijoquinhas GRANDES

Anabela

Raul Martins disse...

Apenas para te incentivar a escrever... não deixes de tentar a escrita.
Sei que não se pode forçar a escrita mas é preciso ir ao encontro dela.
Sei que não tenho o direito de interferir no teu "tempo" de escrita. Apenas quero dizer que gostaria de ver mais textos teus aqui.
Força Maracujá!

Anabela Magalhães disse...

E eu também... já me estão a fazer falta!

V.Matias disse...

Gosto muito.